Leitor 72: O leitor em fim de carreira

Escrito por Índigo às 10h29

... até que chega um dia em que o corpo não aguenta mais tanta leitura. As letras começam a encolher e as frases ficam pulando pra cima e pra baixo no meio da página. A vista não acompanha. Cansa. O cérebro pede uma trégua. Prefere remoer tudo aquilo que já absorveu, sem ter que digerir mais nada de novo. E assim grandes leitores vão se afastando do mundo dos livros, pedem licença, agradecem os bons momentos e saem de fininho. Ligam para a gente e nos convidam para uma visitinha. Quando você chega tem uma caixa de velhos livros amarelados que foram separados especialmente para você.

É como se a gente levasse um pedaço da pessoa para casa.

Escrito por Índigo às 10h29

Leitor 71: O leitor abstrato

Escrito por Índigo às 09h09

Para ele a experiência de leitura é meio quimérica. Os livros já lidos vão se dissipando feito neblina e tudo que resta é uma vaga sensação de gostou ou não gostou, sem no entanto poder dizer o porquê. Mas ele gosta de ler, acompanha as resenhas e faz anotações mentais dos livros que pretende ler. O problema é que esses também se comportam de um jeito fantasmagórico. O leitor já não consegue lembrar o título do livro, o nome do autor e nem a editora. Lembra que tinha uma relação com memória ou saudade, ou então era uma biografia de um saxofonista, um negócio assim.

Escrito por Índigo às 09h09

Leitor 70: O leitor atrapalhado

Escrito por Índigo às 09h12

Talvez tenha a ver com o excesso de informação dos dias atuais, talvez seja afobação, mas segundo uma vendedora de livros me contou, a quantidade de leitores atrapalhados tem aumentado. Chegam perguntando por livros da Sara Mago, aquela escritora portuguesa, ou então do Saramango, esse todo mundo sabe quem é. Outra escritora muito procurada é a Mia Couto. Um autor não tão procurado é o Índigo, mas de vez em quando alguém também pede. Se vão direto ao título a coisa só complica, pois nesse caso são muitos os pedidos por “A menina que roubava pipas” e “Comer, orar e chorar”.

* Pérolas garimpadas pela Michelle Sill, boa e velha leitora dessas páginas

 

Escrito por Índigo às 09h12